terça-feira, 28 de setembro de 2010

demasiado humano

Entenda, nao é um problema de ser social. É bem diferente. Pergunte aos meus amigos, sou sociavel, falante, amiga, presente (quase sempre). A questao é que o ser humano em si nao me agrada. Aqueles com quem socializo, sao pessoas perdoadas por serem quem sao. Se eles fossem cachorros, por exemplo, ou gatos, eu adoro gatos, eu os amaria desde o primeiro instante. Sem explicacoes, sem perder tempo averiguando algo que me seduza e assim tornando-se cada vez menos humanos e mais amados. Mas o problema é esse, a maioria das pessoas do me convivio social sao bem humanas. E nossa, isso dá um trabalhao. Socializar, conversar, ser simpatica, sorrir, respirar,suspirar, acenar, dar oi, dar tchau, dizer oi como vai. Eu nao entendo essa historia de mais de 1 beijo no rosto pra dizer Oi. Aqui as pessoas dao 3 beijos, quase morro. No Brasil, quando eu me cansava de ser humana demais na rua, eu ainda tinha a esperanca de chegar na minha casa e ser o tanto anormal que eu desejasse. Bem, agora… Agora é mais dificil. Essa coisa de morar na casa alheia nao é pra mim. Eu nao durmo direito aqui, eu nao gosto do meu quarto e odeio seguir as regras da casa como, por exemplo, comecar a comer somente quando todos estiverem servidos e preparados para iniciar a refeicao juntos. Por favor, tente imaginar a dificuldade da tarefa em uma mesa com 2 criancas pentelhas. Acho que nunca coloquei os pés no sofa nessa casa, nao podemos ter doces ou qualquer comida que tenha mais de 5% de gordura. Carnes 1 vez por semana e pizza 2 vezes ao mes. Eu detesto ter que passar obrigatoriamente pela sala, quando vou para o meu quarto, dizer oi, como vai, meu dia foi legal e seu ah que bom entao comemos bem batata cenoura uma delicia tambem estou cansada hahahaha claro conhece a do passarinho ah estou adorando meus planos pro fds? ainda nao sei ta bom pode deixar qualquer coisa me liga beijos boa noite, dorme bem, ate amanha hein! Ufa!
Exceto raras excecoes , nao existe amizade entre homens X mulheres, funcionarios X chefes e hosts families X au pair. Nao me contrarie. Tenha certeza que aquele seu amigo hetero super fofo, que te dá altos conselhos e tudo mais, já quis te comer um dia.

10 comentários:

Maria Helena disse...

"A questao é que o ser humano em si nao me agrada." hahahahaha
Menina, vc não pode revelar esse lado estranho de vc, to rindo horrores!!!!
Esqueceu de dizer que vc COMIA batatas e cenouras, pq não há mais comida pra vc. Acho que o proximo passo vai ser te prender no porão :O
Bjs!

Vanessa R. disse...

hahahhahahhahaahhaha!!!
Que post ótimo!! :D
Só poderia ser assim mesmo, pra uma jornalista que se arrisca a limpar bunda de crianças né? Mas é muito bom enxergar a vida de au pair com a tua visão, muito mais critica e fundamental do que os posts de "meu dia foi assim e assado". Adorei mesmo!
Nossa, percebi que também sou meio avessa a ideia de ficar fazendo sala e dando risinhos de graça... hehhe A história de ser demasiado humano cansa né? Espero que no seu quarto, mesmo que vc nao goste muito dele, vc tenha o teu espaço pra ser vc mesma!
Boa sorte pra ti!
Volto aqui mais vezes!!
Beijoooos, se cuida!

Simone disse...

Ai meu Deus, será que foi você mesmo que escreveu isso, ou foi psicografado da minha pessoa? Angela eu te amo depois dessa ( e para de sonhar comigo kkkkk).

Olha eu tenho preguiça de seres humanos, mas as vezes eu acho meio hipocresia só procurar os outros quando eu quero. Não que eu procure pra pedir algo, como muita gente faz, mas eu procuro quando estou no "mode on" pra socializar, o que não acontece sempre.

É dificil explicar pras pessoas que não quero dar bom dia, não quero parar pra conversar sobre o meu dia, não porque eu odeie eles, ou porque estou de mau humor, é pelo simples fato de que eu não quero, não tem assim uma explicação extraordinária. Até a minha familia que me conhece, as vezes fica meio chateada, mas é minha familia eles entendem esse meu problema de contato humano. Mas na casa dos outros não rola, fica climão, eu sou chata pra caralho com o meu espaço, com silêncio as vezes, com não querer ver gente, com ficar muito se tocando, eu sempre fui avessa a beijinho no rosto, abraço desnecessário essa coisas. Mas sabe como é, você volta do final de semana na casa da host family e as kids vem correndo te mostrar o brinquedo novo e querem atençao. A familia tá ali olhando esperando a sua reação, e tudo que eu quero é passar reto pro meu quarto sem falar um Oi! sequer, mas ai eu paro e penso, hum, eles não vão entender, deixa eu ir lá e fazer um social. argrrrrrrrr odeio artificializar minhas relações.
Não dá, não nasci pra morar no trabalho.

Eu por exemplo odeio receber visitar 80% do tempo. ninguem entende isso, é meu sabe, eu nunca visito ninguem, e se tenho vontade de fazer eu aviso bem antes e tal, eu odeio ser incoveniente nas minhas relações com as pessoas, até porque eu acredito que assim como eu tenho que fingir muita coisa pra viver em sociedade, eles também fazem, e odeio saber que alguém está fingindo pra ser simpático comigo, ou me convidou por educação, quando na verdade não queria me ver. Mas as pessoas NÃO ENTENDE. Minha mãe me chama de bicho do mato, eu quiz morrer quando voltei pro Brasil e todo mundo queria me visitar e chegava assim, chegando tocando a campainha, eu só faltava me esconder debaixo da cama, porque eu não queria conversar, não queria fazer sala pra ninguém, muitas vezes eu deixei as pessoas na sala e não desci, mesmo com a insistência da minha mãe.

Enfim sobre animais, o vida seria tão mais fácil se eu só tivesse que conviver com eles. Não tem tempo ruim pra mim. eu amo, amo amo, cachorros, socializo numa boa, e a quimica rola tão bem, porque na maioria das vezes é bem reciproco. É tão natural, não é aquela coisa, você encontra sua amiga com o filhinho e eles esperam que você brinque um pouquinho com a criança, ou pegue no colo, eu não sinto vontade nenhuma, mas se ela esta passeando com o cachorro, eu bem posso rolar no chão brincando sem a minima cerimônia e isso ser completamente natural...


Enfim, deixa eu ir arrumar o que fazer Angela, eu só amei muito esse post, já me expressei por hoje.

beijo

Manuela disse...

Pretinha, é por essas e outras que eu te amo. Lembra que eu te disse uma vez que nós somos muito parecidas em certos aspectos? Era bem disso que eu falava, de sermos humanas, de sermos sensíveis. E claro, de sermos duas escrotas do caralho.
Essa vida de au pair é mesmo muito ingrata, a gente nunca relaxa e nunca é a gente mesma, parece viver sobre uma tensão, uma obrigacao de ser nice o tempo todo. Mas eu nao reclamo tanto, porque o lado bom compensa muito. E você é responsável por grande parte do lado bom da minha vida aqui.
Tô meiga hoje, hein?
Beijos!

Laura disse...

Eu sou muito da teoria que nao existe a relaçao homem x mulher sem interesse de sexo, mas isso nao vem ao caso agora.

Nao sou gato e muito menos gosto deles, podemos continuar amizade assim mesmo? Nao precisa me dar 3 ou nem 1 beijinho quando me encontrar.

Já te falei como funciona para se entender com a vida de au pair, relax. "Devia ter me importado menos com problemas pequenos..."

Hellen disse...

Vote em canditados que apoiam a causa: "fim ao beijinho, fim aos 3 beijinhos"
Por God isso é o fim...

Naiara Soares disse...

Te reconheci nesse post... Acho que se encontrasse isso na net por acaso diria: ANGELA!
É, ser humano, ser demasiado humano, o que será isso? Nietzsche escreveu sobre esse demasiado humano, né? Esse Super-Homem que afinal, em certas circunstâncias da vida, temos que ser pq estamos sempre sendo testados, sempre ultrapassando obstáculos e quem for podre é que se quebre, né?
Concordo que aturar outros seres-humanos não é fácil e tudo isso em nome da boa convivência, da aparência, desse lado social que temos em nós e o mais estranho de tudo é que quando optamos por ser aupair, ou melhor, por conviver com outros que não sabemos quem são e que se vamos ou não ter afinidades, é um porre! Admito, é um risco dobrado, é um atirar na loteria, amiga... Pk além de conviver, vc presta um trabalho e a tua função é sorrir, é achar que tudo te compete, entende? Ser mãe, ser dona de casa, cuidar da rotina, preocupar-se com os pequenos detalhes das crianças e dos pais também! E vc pergunta: cadê o meu tempo? Onde eu estou? Onde?? Acordar cedo de cara amarrada..quando??? Esquece, vc não se pertence! É dar 3 beijinhos mesmo quando vc quer mandar tudo ir pro inferno! Sorrir quando na verdade só te apetece chorar. É um delirio..
Mas há lados bons, há que se testar, Angela! Há que acreditar q essa experiência te faz mais humana, sim...te faz humana! Te faz respeitar o próxima, seja ele quem seja! Faz ver que ninguém é obrigado conviver com o nosso estado de espírito, apesar de todos nós seres humanos estarmos a mercê desses viados estados de espírito!
Eu aprendi isso! Aprendi a respeitar a convivência e a viver bem com os demais. Aprendi que há tempo para tudo e que os outros, aqueles que fazem parte hj do teu meio, ou seja, na tua casa, devem tbm aprender a respeitar o teu tempo e espaço.
Ai, minha querida, o ser humano é chato e nós somos também! Eu amo ser chata e amo o meu espaço, o meu tempo... Mas foi uma opção nossa compartilhá-lo com outros!
te amo

Thiago Rafael disse...

Seres são humanos desagradáveis, Angie? HAHA
Óbvio que são, né! Olha pra gente... Quem consegue ser pior, mais escroto? Somos lixo do princípio ao fim, mas como dizemos: somos LIMDOS!
Essa história de 3 beijos é o fim, mesmo! Diga-me, pra que contato físico? (a não ser quando for sexo, claro, mas só por prazer, nada mais)
Sabe, não sei porque você não é humana pra mim e eu não sou pra você, mas é que nossa escrotidão dentro da vida ingrata nos equiparou, e te amo por ser tão não-humana comigo!

OBS.: nunca quis te comer, sou fofo, lindo, querido, dou altos conselhos, e sou hetero. HUM

Andy Rocka disse...

qnd vc voltar (pode imprimir isto), eu vou te pagar um rodizio de pizza, pra enxer seu cu de massa.

ah, sobre nao comer doces, isso significa que vc vai voltar Naomi?

Saudade de vc, tão humana quanto vc pode imaginar

Luíza disse...

Melhor post EVER.
Aqui no rio são 2 beijinhos, em SP era 1. Mas, pra mim, continua sendo nenhum.
Sempre me escondi das visitas, nunca cumprimentei amigos regularmente com beijinho no rosto, nunca liguei pra ninguém só pra bater-papo, mandei meu msn pro limbo e só entro agora pra fazer trabalho da faculdade.
Chata, metida, arrogante, anti-social, esquisita. Já me chamaram de tudo isso. Até meus amigos falam que essa foi a primeira impressão que eles tiveram de mim. E ainda me crucificam quando falo que se o mundo fosse de cachorros, eu abanaria meu rabo feliz.


Bjo, garota.
Se cuida.

Postar um comentário

.